Seu e-commerce deveria ser sustentável?



Seu e-commerce deveria ser sustentável?

O Brasil é um dos países do mundo com mais consumidores que se dizem preocupados com sustentabilidade: 95% das pessoas conhecem questões ligadas à preservação do meio ambiente, embora os índices de reciclagem de produtos ou de uso de fontes renováveis ainda tenham muito espaço para crescer (apenas 13% dos resíduos sólidos vão para reciclagem anualmente e o País perde R$ 5,7 bilhões ao ano por não reciclar plásticos).

Produtos com apelo sustentável têm uma justificativa para custar um pouco mais: 47% dos brasileiros aceitariam pagar até 5% mais em produtos sustentáveis, segundo um estudo da EcGlobal. Como 98% dos consumidores consideram importante que as empresas se engajem em ações ligadas à preservação do meio ambiente, o e-commerce também precisa estar atento a essa questão e levar essa discussão para seu dia a dia.

Em alguns segmentos do mercado, uma postura sustentável contribui fortemente para um posicionamento mais positivo. É o caso de itens para casa e decoração, em que o uso de matérias-primas sustentáveis, recicláveis, produzidas de forma consciente ou a partir do reaproveitamento de recursos naturais vem crescendo de forma significativa.

Adotar uma postura sustentável não precisa ser apenas uma bandeira de marketing. Ao realizar esforços para tornar seus processos e métodos de trabalho mais ecologicamente corretos, o varejo pode obter vantagens competitivas. Seja por uma imagem mais positiva junto aos clientes, pela possibilidade de comercializar itens de margem mais alta ou pelo impacto financeiro das ações, o e-commerce tem muito a ganhar com a sustentabilidade.

Comentários