Como entregar mais rápido sem aumentar os custos no e-commerce?



Como entregar mais rápido sem aumentar os custos no e-commerce?

A logística é um dos principais centros de custos do e-commerce e uma das áreas de maior competitividade. Segundo o estudo 2018 Click, Ship & Return, o varejo online americano gastou, em 2017, US$ 117,2 bilhões com logística, incluindo o transporte do fornecedor aos Centros de Distribuição, a entrega aos clientes, armazenamento, logística reversa, administração e carregamento do estoque. Isso equivale a 25,8% do faturamento do e-commerce americano naquele ano.

A redução dos prazos de entrega eleva esses custos, uma vez que diminui o tempo disponível para consolidar cargas e obter ganhos de escala na logística de última milha. A Amazon, com sua entrega em algumas horas para clientes Prime, estabeleceu a referência do mercado e elevou as expectativas dos consumidores, que passam a demandar a mesma velocidade em todas as suas compras. O estudo The Future of Retail 2018 mostra que, para 42% dos consumidores, a entrega no mesmo dia é um argumento importante para comprar mais online.

Mesmo no Brasil, em que grande parte das entregas (especialmente do pequeno varejo) é feita pelos Correios, os prazos são mais elásticos, mas como a escala dos negócios é menor, os custos continuam elevados e a demanda por entregas rápidas também existe.

Comentários